Notícias

Notícias

01/03/2018

Colégio Auxiliadora comemora aprovações de estudantes nos vestibulares

O Colégio Auxiliadora, de Ribeirão Preto (SP), está comemorando a aprovação de seus alunos em diversas universidades do país. Eles tiveram bons desempenhos no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e em vestibulares. Orion Nonato de Oliveira foi o terceiro colocado na lista de chamada do Curso de Artes Cênicas da UFG (Universidade Federal de Goiás). Julia Nakamura Pereira foi aprovada em Economia Empresarial e Controladoria pela FEA/USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo). Miguel Inforsato Neto conquistou uma vaga no Curso de Manutenção de Aeronaves do IFSP (Instituto Federal de São Paulo), campus de São Carlos.

A Unaerp (Universidade de Ribeirão Preto) receberá os alunos Caroline Caixe Berzoti, aprovada em Engenharia Civil, João Pedro Vitaliano de Oliveira, que cursará Nutrição, e Maria Eduarda Luchetta Pais, que fará Relações Internacionais. José Victor Rodrigues será estudante de Curso de Direito do Centro Universitário Moura Lacerda, enquanto Gabriele Pereira Nunes estudará Administração na Faculdade Metropolitana, ligada à FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Escola presente

Segundo a orientadora Educacional Monalisa Biagini, a escola está sempre comprometida em preparar seus estudantes para essa etapa decisiva da vida. “O trabalho de desenvolvimento das competências e habilidades do aluno começa, na verdade, ainda no Ensino Fundamental e se intensifica no Ensino Médio. O acesso ao curso de graduação é o primeiro passo da construção de uma carreira profissional. Ser aprovado não é uma tarefa fácil. Estes resultados positivos refletem a eficácia do ensino que é oferecido pelo Auxiliadora por meio de um material didático de qualidade, atividades extracurriculares, programas de Revisão, entre outros”, disse.

Danielle Minto, orientadora Pedagógica, ressaltou a importância da redação para o resultado final das provas. “É na redação que os avaliadores conseguem ver a linha de raciocínio do candidato e os conhecimentos adquiridos ao longo de sua formação educacional. Se ele tiver um bom repertório de ideias e técnicas, será capaz de demonstrar bons argumentos e construir propostas de intervenção. Por esses motivos, temas atuais e sociais são pautas frequentemente discutidas em sala de aula”, concluiu.

Etapa vencida

Aluno do Auxiliadora desde o Ensino Fundamental, Orion Nonato de Oliveira afirma que a escola foi essencial para sua conquista no Curso de Artes Cênicas da UFG. “Logo que iniciei o Ensino Médio senti a adaptação ao universo dos vestibulares e a mudança de ritmo e de disciplinas em relação ao período anterior. A rotina das aulas contava com simulados e propostas de exercícios de provas passadas, palestras que encorajavam os estudantes, bate-papos sobre carreiras e ensino superior”, disse. Segundo Oliveira, o Colégio também contribuiu para a escolha de sua carreira. “As aulas de teatro com o professor José Maurício, desde o 7º ano do Ensino Fundamental, me introduziu nesse universo e fez crescer meu amor pelas artes”, disse. Para o futuro, o aluno espera conseguir sua licenciatura e se aprofundar em Teatro Musical para um dia chegar ao mundo do cinema.

Julia Nakamura Pereira foi aprovada em Economia Empresarial e Controladoria pela FEA/USP. Manter uma rotina de estudos foi uma das formas encontradas por ela para garantir o bom resultado. “Eu reforçava a matéria do dia e fazia pesquisas para me aprofundar nos assuntos”, disse. A nova universitária também frequentou o programa Revisão, uma espécie de cursinho pré-vestibular oferecido pelo Auxiliadora aos sábados. As aulas são ministradas pelos próprios professores da instituição. “Foi ótimo para refrescar a memória, focar nos conteúdos que eu tinha mais dificuldade e abordar melhor as leituras obrigatórias para as questões de literatura”, ressaltou.

Julia também apresentou um ótimo desempenho na redação da Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular), cujo tema foi “Deve existir limite pra arte?”. Ela obteve nota 82 – de um total de 100. “O Auxiliadora sempre frisou a importância da redação nos vestibulares e no Enem. Na hora da prova lembrei de uma frase da professora Silvanna Delari, da disciplina de Artes. Ela dizia: ‘pode se expressar do jeito que quiser, o importante é se expressar’. Acredito que aulas de artes são fundamentais para se manifestar e exteriorizar. Elas me ajudaram muito na elaboração do texto”, salientou.

A escolha de Miguel Inforsato Neto pelo curso de Manutenção de Aeronaves teve inspiração familiar. Ele deseja seguir os passos do irmão e tornar-se piloto. O primeiro passo para a concretização do sonho começou com a conquista de uma vaga no IFSP. A oportunidade foi obtida por conta de seu bom desempenho no Enem e, consequentemente, no Sisu (Sistema de Seleção Unificada). “Achei a prova tranquila. Acredito que a estrutura e o aprendizado que tive no Auxiliadora colaboraram para essa vitória. A preparação da sala de aula se complementava com o programa de Revisão aos sábados. Em todos os momentos me senti amparado e instigado a obter o meu melhor”, concluiu.

Treinando para o futuro

Se o segredo para o sucesso depende de muito estudo, Arthur Capozzi Cazentini e Isadora Fenerich Almeida sabem o valor dessa dica. Os dois ainda estão na 2ª Série do Ensino Médio, mas já conhecem a sensação de conquistar uma vaga em uma das universidades mais concorridas do país: a USP. Isadora prestou a prova da Fuvest e passou no Curso de Matemática Aplicada. Segundo ela, o treinamento foi importante para a continuidade de sua preparação. “Fiquei muito feliz com o resultado, estou ainda mais confiante. Tenho uma rotina de estudos, como fazer revisões e realizar os simulados aplicados pela escola. Agora pretendo intensificá-la para alcançar a oportunidade novamente”, afirmou. A aluna almeja passar em Engenharia Física da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos).

Cazentini conquistou uma vaga no Curso de Ciência da Informação e Documentação. Ele conta que, na hora da prova, estava tranquilo e confiante. Sua maior dificuldade, no entanto, foram os conteúdos específicos que serão abordados na 3ª Série do Ensino Médio. “Eu já estava preparado para encontrar questões assim, mas mantive a calma e foquei no que eu sabia responder”, disse. Para o aluno, que estuda no Colégio Auxiliadora desde a Educação Infantil, a preparação para esse momento decisivo é constante. “Sempre tive o apoio dos professores e um aproveitamento integral das aulas. Acredito que isso possa ser um diferencial para o ano que vem”, concluiu.

Postado por: marcella Publicado em: 01/03/2018 Mais notícias

Diferenciais

Ensino